1450878319_thumb.jpegMuitos empreendedores no Brasil montam seus modelos de negócio da mesma maneira que eram criados há dez, vinte anos atrás, na época em que por inúmeros instrumentos jurídicos e políticos tinhamos um mercado protegido a concorrência internacional, supostamente desleal, ou seja, criam empresas 100% focadas no mercado nacional.

Mais curioso ainda é o número absurdo de “CEOs” de startups brasileiras criando produtos unicamente para o mercado brasileiro, ainda pior aqueles que acham que atingir uma região específica do país, como nordeste ou sul, já é suficiente.

Fica parecendo que uma boa parte de nós, empreendedores de maneira geral, acredita que a internacionalização é pura e simplesmente uma opção a seguir ou talvez uma moda que daqui a pouco irá acabar dando lugar a algo novo.

Felizmente esse é um caminho sem volta, mesmo com nosso governo fazendo de tudo para desacelerar a economia e proteger o produto nacional, vivemos numa realidade globalizada, independente de de você gostar ou não.

Na minha visão, internacionalizar não é uma opção, é uma necessidade e a cada dia se torna mais simples lançar produtos em outros países, principalmente os de base tecnológico como aplicativos e plataformas web.

Minha questão nesse post é por que, concientes que estamos de uma realidade globalizada, certos das facilidades de termos negócios em outros países, continuamos a insistir em deixar 100% dos negócios na mão do governo brasileiro?

Seria medo? Sentimento de inadequação com a realidade internacional? Problema com a língua estrangeira? Falta de referência? Apatia empreendedora? Arrisco definir como um pouco de cada um desses pontos e reforço que diversos mitos permeiam o meio acadêmico e profissional quando o tema é globalização. Mesmo profissionais experientes com operações bem grandes no país parecem reforçar esses mitos e buscam contribuir para o foco no mercado doméstico.

Segue abaixo uma lista de alguns mitos que sempre escuto e na minha opinião contribuem de maneira negativa na criação de novas empresas no país:

  • Devo começar internacionalizado minha empresa;
  • Devo primeiro conquistar o Brasil antes de partir para o mercado internacional;
  • Só grandes empresas internacionalizam;
  • A língua portuguesa é uma tendência e sempre me viro no “portunhol”;
  • Preciso de muitos recursos financeiros para uma experiência internacional;

Nos próximos posts vou fazer uma análise de cada um desses mitos e agora gostaria de saber sua opinião, internacionalizar é uma opção? Por favor deixe um comentário, será um prazer ajudar a esclarecer e conhecer também seu ponto de vista sobre o assunto.

_

Que tal começar hoje mesmo a atrair clientes internacionais? Clique aqui e faça um diagnóstico 100% gratuito para a sua empresa.

Responder

  1. Internacionalizar é uma opção? - Inovare Gestão Contábil

    […] Publicado originalmente em Cultivatech. […]

  2. Cesar Nogueira

    Uma micro empresa consegue internacionalizar produtos como molhos diferenciados? Que caminhos deve buscar para isso?

    1. Leo Uchôa Proprietario del Listado

      Ola Cesar tudo bem?!

      Com certeza uma micro empresa consegue internacionalizar hoje em dia, existem inúmeros recursos e facilidades para esse fim. Esse post talvez possa ajudar um pouco: http://186.202.161.161/plesk-site-preview/cultivatech.com.br/186.202.161.161/5-mitos-que-impedem-sua-empresa-ou-startup-de-internacionalizar/
      Aproveitando sua questão estou trabalhando em um projeto para levar empreendedores do ramo de alimentos para a Sial Montreal no Canadá https://sialcanada.com/en/ que é uma das maiores feiras do setor de alimentos no mundo. Se interessar posso enviar mais detalhes, abs